Pin It
Home » Entrevistas » Entrevista: Fabiano Rodrigues de Souza do Grupo Trilhas na Serra


Hoje entrevistamos o amigo e companheiro de trilhas, Fabiano Rodrigues de Souza. Ele é desses caras que fazem da natureza seu segundo lar e que inspiram outros. Tanto que formou um grupo, chamado Trilhas da Serra, e com ele desbrava as montanhas compartilhando as belezas da nossa serra e o respeito pela grande mãe natureza, fazendo essa atividade render ajuda e conforto para pessoas carentes. Inspire-se!

1) Como você começou a se interessar pelas trilhas?

Desde criança sempre gostei de estar na mata, era uma diversão só. Entrei para a ONG Amigos da Terra, onde participava de oficinas diversas (rapel, tirolesa, orientação com bússola, primeiros socorros e trilhas ecológicas). A paixão pelas montanhas foi selada em uma expedição com a mesma ONG para a Pedra das Flores na cidade de São José do Vale do Rio Preto-RJ, onde eu morava na época. Isso há uns 11 anos. A partir de então não larguei mais as montanhas. A foto abaixo é a única lembrança que tenho dessa primeira trilha até a Pedra das Flores:

Trilha para a Pedra das Flores, em São José do Vale do Rio Preto, RJ

Trilha para a Pedra das Flores, em São José do Vale do Rio Preto, RJ


2) O grupo Trilhas na Serra já tem mais de 1 ano e vem fazendo muito sucesso. Como ele surgiu? Você idealizou o movimento ou simplesmente “aconteceu”?

Inicialmente apenas reunia alguns amigos mais próximos para conhecer e trilhar pelas montanhas de Petrópolis, não passavam de 5 pessoas. Comecei a publicar fotos nas redes sociais dos lugares visitados e mais pessoas foram aderindo a esse pequeno grupo. Até que uma grande amiga e incentivadora, a Teresinha Pires, sugeriu criarmos oficialmente um grupo para reunir mais pessoas. Daí nasceu o Trilhas na Serra, que rapidamente foi se difundindo entre os amantes e iniciantes da montanha aqui em Petrópolis, contagiando também outras cidades, estados e até países (tivemos visitantes do Vietnã e da Alemanha).

Grupo de caminhadas

Grupo de caminhadas


3) Qual o objetivo do Trilhas na Serra?

A ideia original sempre foi aproximar pessoas dos atrativos naturais de nossa região, sejam montanhas, matas, cachoeiras, entre outros, buscando promover a valorização desses bens naturais, a importância da preservação e o uso sustentável desses ambientes. E juntamente com esse princípio surgiu a ideia dos gestos solidários, onde além de curtir a natureza estaríamos também ajudando as pessoas e instituições mais carentes.

4) Fale um pouquinho sobre a parte social do Trilhas na Serra: como funciona, quem se beneficia, quem ajuda, quais as ações atuais etc?

O Trilhas na Serra é um grupo de amigos que se reúne tanto para o lazer como para a solidariedade. As trilhas são marcadas pelo grupo no Facebook, onde definimos um gesto solidário para aquela respectiva caminhada e cada participante leva sua doação. Não cobramos taxas, nem mensalidades. Todo o trabalho é voluntário. Esse gesto solidário pode ser de diversas maneiras: arrecadação de alimentos não perecíveis, insumos para tratamento de animais silvestres, doação de sangue, doação de agasalhos, cobertores, roupas, trilhas sociais com orfanatos, etc. Todas essas doações são encaminhadas a famílias e/ou instituições carentes do entorno do local que estamos trilhando. Salvo os materiais para tratamento de animais silvestres que são encaminhados a uma clínica especializada nesse tipo de animal. A cada 4 meses fazemos nossa campanha de doação de sangue em parceria com o Banco de Sangue do Hospital Santa Teresa. Recentemente fizemos uma ação com os moradores de rua da cidade, através de um sopão e entrega de cobertores e agasalhos. Temos intenção de realizar ações voltadas ao reflorestamento.




Ações sociais do grupo Trilhas na Serra

Ações sociais do grupo Trilhas na Serra


5) O Trilhas na Serra possui algum convênio ou parceira com instituições para promoverem suas ações?

Sim. Além dos integrantes diretos organizados dentro do Facebook, há outras pessoas que sempre nos ajudam, algumas impossibilitadas de caminhar. Temos parceria com a loja virtual Campsite que nos concede desconto especial, o apoio de outros grupos de trilha de Petrópolis, Teresópolis e Rio de Janeiro e de diversas instituições sociais na cidade. Recentemente ganhamos um destaque do Guia de Gastronomia, Hospedagem e Lazer de Petrópolis da autora Christiane Michelin, e já estamos conversando com mais parceiros para o grupo que em breve serão anunciados.

6) Quais são os maiores desafios que você tem encontrado nas trilhas com grandes grupos?

Acredito que despertar a atenção de todos para a própria natureza, não fazer a trilha pura e simplesmente com intuito de chegar ao cume e descer, mas refletir, vivenciar o oportuno momento de estar de frente a um belo horizonte, apreciar com calma e admiração as belas curvas de montanhas, a perfeição da natureza, a rica arquitetura de um paredão rochoso ou de uma linda flor. Outro desafio é com relação à limitação de pessoas em uma caminhada. Já tivemos trilha com quase 50 pessoas, e em parceria com outros grupos, chegamos a quase 80. Temos que ter em mente que o próprio local tem sua capacidade de suporte, e não podemos extravasar isso. É algo que está sendo pensado e em breve será limitado.

Travessia Marins x Itaguaré

Travessia Marins x Itaguaré

Travessia Petrópolis x Teresópolis

Travessia Petrópolis x Teresópolis

……












7) De todas as aventuras que você viveu no ambiente natural, quais foram a mais engraçada, a mais triste, mais empolgante e a mais exigente?

Dentre diversos momentos, acho que um dos mais engraçados foi uma vez que vi meninas de salto indo para trilha, e na volta, quando precisaram pegar algo na mochila, percebi que levaram chapinha e secador de cabelo… foi uma zoação só….:)
Dos momentos tristes, foram vários também, desde a perda de amigos na montanha até queimadas de florestas, ver árvores e animais torrados é muito triste.
O mais empolgante foi a Travessia Petrópolis x Teresópolis, que até alguns anos atrás era um sonho, a ansiedade era muita, porém dependia de equipamentos e acessórios para completá-la sem passar perrengues.
E por fim a mais exigente que fiz foi a travessia Marins x Itaguaré, na Serra da Mantiqueira, cruzando os estados de SP e MG, uma caminhada onde você é desafiado o tempo todo com diversos obstáculos e com a limitação de água.

8) Deixe alguns conselhos para quem gosta e quer começar a praticar atividades de montanha.

As atividades de montanha não se restringem apenas a você colocar uma mochila nas costas, escolher um roteiro, seguir e voltar. É muito mais que isso. É reconhecer suas limitações, reconhecer a natureza como ela é de fato, aprendemos a respeitá-la e preservá-la. O medo é importante para quem faz esse tipo de esporte, pois é ele que lhe mostra até onde você pode chegar, até onde você curte o lugar sem riscos. Aos iniciantes uma dica é começar a interagir com grupos de montanhismo, como os Centros Excurcionistas ou outros (como o Trilhas na Serra ;). Comece com caminhadas leves e vá aumentando o ritmo aos poucos, assim você adapta seu organismo a essas atividades, aprende mais com a própria natureza, aprende sobre o próprio corpo e curte melhor cada destino.

9) Tem alguma “trilha dos sonhos”, aquela trilha que faz seu coração disparar?

Várias! Cada destino programado é um novo desafio, um frio na barriga. Existem várias montanhas a serem exploradas por esse Brasil, e muitas ainda para conhecer aqui no estado do Rio de Janeiro. Atualmente tenho 3 destinos em vista: Chapada dos Veadeiros (GO), Chapada Diamantina (BA) e Monte Roraima (RO) que pretendo visitar em breve. Vou com calma, aproveitando e curtindo cada uma, tirando máximo proveito de ensinamentos e particularidades de cada ambiente.

Grupo reunido para iniciar uma das trilhas

Grupo reunido para iniciar uma das trilhas


10) O que o seu envolvimento com as montanhas e com o grupo Trilhas na Serra tem te ensinado?

As limitações humanas e a bondade do coração das pessoas. Diante de um cume de montanha percebemos o quanto somos ínfimos frente a um planeta gigante, aprendemos a respeitar mais a natureza e as pessoas, a reconhecer limites, reconhecer nossa fragilidade. Desenvolvemos um espírito de equipe, onde a troca mútua de ajuda é constante e importante. O companheirismo é fundamental para a conquista de desafios e conhecimento. Estar diante de um grupo com quase 2000 integrantes compartilhando a mesma ideia, o mesmo principio, visando os mesmo objetivos é algo fantástico e enriquecedor. Agradeço a Deus a cada dia por conhecer tantas pessoas boas, grandes amigos que fazem a diferença.

11) Quais são os seus projetos para o futuro?

Expandir fronteiras com o grupo Trilhas na Serra, como temos feito há alguns meses. Pessoalmente pretendo me aprimorar mais no montanhismo, em atividades de Ecoturismo e Educação ambiental. Continuar promovendo parcerias com outros grupos e instituições, como forma de unir forças em prol do bem em comum.

Valeu, Fabiano! Que seus caminhos continuem assim, inpsiradores e cheios de coisas boas!

Para entrar em contato com o Fabiano, acesse a fanpage do Trilhas na Serra

Gostou do artigo? Dê um “curtir” e compartilhe com seus amigos!


Siga-nos no Twitter: @viagensandancas (www.twitter.com/viagensandancas)
Curta o Viagens & Andanças no Facebook: www.facebook.com/viagenseandancas

    Receba nossas atualizações por e-mail:



7 Responses to Entrevista: Fabiano Rodrigues de Souza do Grupo Trilhas na Serra

  1. Paulo disse:

    Boa tarde! Gostaria de saber , como faço para me torna um membro Trilhas da serra? E se eu morando em Teresópolis, criaria algum impasse. Desde ja agradeço pela atenção. Att. Paulo P. Jr.

  2. Shirlei Bastos disse:

    Parabéns Fabiano, vc merece tudo isso que está acontecendo, seu carinho, atenção com cada um do grupo, preocupação com o próximo, muito lindo ver as pessoas ajudando !!!! Para mim foi muito importante descobrir esse grupo que tenho orgulho em fazer parte, pois estou superando meus desafios e realizando sonhos antigos, o maior deles que todos sabem por enquanto foi o AÇÚ, fiquei muito emocionada ao chegar naquele lugar incrível e só tenho a agradecer a ajuda, o companheirismo e a força que cada um me deram !!!! Conte sempre comigo para o que precisar e espero trilhar muito com vc e com o grupo!!!!! Parabéns!!!!!!!

  3. Heloisa Helena Boubée Knaup disse:

    Parabéns Fabiano! Assim que voltar ao Brasil pretendo fazer mais trilhas com vocês. O grupo é ótimo e junta pessoas interessadas em curtir a natureza, adquirir conhecimento, participar de projetos sociais… Pude me sentir verdadeiramente acolhida e segura ao lado da galera. Quem sabe a gente ainda possa ir pra Chapada dos Veadeiros ou pra Chapada Diamantina juntos? :-D Tudo de bom pra você e pra toda a galera. Beijos.

  4. Simone Starck disse:

    O Trilhas na Serra é um grupo não apenas para trilhar, mas uma reunião de amigos para curtir os encontros de forma feliz, com harmonia e acima de tudo respeito e amor fraterno. Todos unidos para um objetivo comum: viver a vida de forma saudável e intensa acompanhados de pessoas queridas. Muito obrigada Fabiano por sempre nos guiar de forma responsável, segura e amável! Você é nota 10!! Que venham as próximas trilhas!! :D

  5. Robson Luis disse:

    Muito legal. O grupo é realmente ótimo. Parabéns, Fabiano, e a todos os demais integrantes. Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Scroll to top