Pin It
Home » Viagens fora do Brasil » Rota dos Sete Lagos, de Bariloche a San Martín de Los Andes


Rota dos 7 lagos

Rota dos 7 lagos

A viagem a Bariloche foi sugestão de um amigo, que também sugeriu o passeio pela Ruta de Los Siete Lagos que ele havia feito e gostado muito. Pesquisei sobre a rota e decidi que ela seria um dos motivos principais da minha visita à região. Muitas fotos lindas, lagos de cores maravilhosas, um azul incrível e o verde característicos daquela área. Partimos então para Bariloche com uma expectativa grande pois a previsão do tempo era ruim demais.

Chegamos num domingo e na terça feira resolvemos fazer a rota até a cidade de San Martín de Los Andes. O tempo? Ruim, mas… viagem é assim né. Com tempo bom ou ruim, o negócio é encarar os desafios e partir feliz.

Assim fomos com nosso Gol branco alugado. A saída de Bariloche pode ser um pouco confusa. Aconselho quem vai a pegar um mapinha no centro de informações turísticas de Bariloche, que fica no Centro Cívico. Com mapa na mão fica mais fácil identificar as estradas e também os lagos. O nosso mapa ganhamos da empresa Correntoso, onde alugamos o carro. Saímos cedo procurando a estrada para Villa La Angostura e estávamos indo certinho mas a sinalização não é muito clara, então às vezes a gente fica com a pulguinha atrás da orelha. Nessas horas vale perguntar.

Pegamos a estrada para Villa La Angostura com o tempo querendo limpar. Ficamos animados, embora as nuvens escuras estivessem anunciando o contrário.

Estrada até Villa La Angostura

Estrada até Villa La Angostura


Não demorou muito para nossas suspeitas se confirmarem e o tempo virar totalmente. Muitas nuvens pesadas nos acompanharam por grande parte do passeio. Muitas vezes com um pouco de chuva, o que chegou a assustar por causa da estrada de terra/cascalho.

Esse é o lago Nahuel Huapi, que em dia de sol tem cor azul turquesa...

Esse é o lago Nahuel Huapi, que em dia de sol tem cor azul turquesa…


Paradinha rápida para foto e pé na estrada de novo.

Imagine só nós, amantes da fotografia, num lugar como esse? Toda hora a gente parava para mais uma fotinha.

Mais uma linda vista do lago Nahuel Huapi no caminho para Villa La Angostura

Mais uma linda vista do lago Nahuel Huapi no caminho para Villa La Angostura


Marcos se preparando para mais uma foto

Marcos se preparando para mais uma foto

Ok, ok, vamos então. Próxima parada só em Villa La Angostura.
O tempo virou totalmente e o sol deu lugar às nuvens escuras. O frio, claro, tomou conta totalmente. Brrr…. estávamos bem dentro do carro com aquecedor, mas quando colocávamos o nariz para fora, cruzes! Resolvemos colocar mais roupas. Não estávamos com a segunda pele da calça e tínhamos que achar um banheiro para trocar de roupa. Fomos no centro de informações de Villa La Angostura, pegamos mais um mapa e a moça nos disse que tinha um banheiro público logo atrás do centro de informações. Bem, público. A porta da baia do banheiro não fechava, então a mochila serviu de peso para segurar a porta enquanto me trocava. No banheiro também não tinha papel, nem papel toalha. Minha sorte é que pra todo lado eu carrego papel higiênico. :)

Arquitetura típica de Villa La Angostura

Arquitetura típica de Villa La Angostura


Andamos um pouco por Villa La Angostura. Me pareceu uma cidadezinha bastante interessante, mas o tempo estava uma droga total. Decidimos não visitar os famosos portos da Villa. Partimos para o Cerro Bayo, centro de ski de Angostura, cuja entrada fica um pouquinho antes de chegar no centrinho de Angostura.

Pagamos AR$ 115 cada um e subimos de “aerosillas”, aquelas cadeirinhas abertas. QUE FRIACAAA!!! :|
Chegando lá em cima resolvemos procurar um abrigo. Tudo fechado. Tudo vazio. Meia dúzia de esquiadores e snowboarders ainda brincavam por lá. O tempo? Fechado. Ruço. Mas mesmo assim, a paisagem é linda. Gostamos muito de ter visitado o Cerro Bayo.

Um dos abrigos que estavam fechados no Cerro Bayo

Um dos abrigos que estavam fechados no Cerro Bayo


Sem ter como aquecer um pouquinho no abrigo, resolvemos descer. O frio estava castigando a gente.
No estacionamento (gratuito) comemos um sanduba que havíamos levado para a viagem e partimos para a estrada novamente.

De Bariloche a Villa La Angostura são cerca de 80 km de estrada asfaltada. Muita gente faz esse passeio até Angostura com empresas de turismo, de van. Também é possível fazer de ônibus de linha. Já é um trajeto interessante mas não se compara ao percorrido na 7 Lagos.

Os lagos da ruta e outros mais

Os lagos da ruta e outros mais

Agora sim começa oficialmente a Rota dos Sete Lagos, a partir de Villa La Angostura. Os sete lagos são: Correntoso, Escondido, Espejo, Falkner, Machónico, Villarino e Lácar. De Angostura a San Martín são aproximadamente 107km, uma boa parte percorrida no que eles chamam de rípio, o que aqui chamamos de cascalho. No trajeto passamos por mais de sete lagos, alguns com acesso um pouquinho mais difícil. Mesmo a estrada de rípio é boa e vê-se que está em constante manutenção. Mas é importante dirigir com cuidado e devagar pois há curvas perigosas e alguns loucos passando em alta volocidade em alguns trechos.

Veja a localização de alguns dos lagos no mapinha acima. Os que têm um asterisco vermelho na frente fazem parte dos 7 Lagos.

O primeiro deles é o Correntoso, em Villa La Angostura.

Lago Correntoso visto da estrada em Villa La Angostura

Lago Correntoso visto da estrada em Villa La Angostura


O tempo estava bem fechado e o céu cinza tirou um pouco a graça das fotos, que ficaram sem as cores vivas dos lagos para dar o charme.

Continuando o trajeto passamos por mais um mirante do Lago Nahuel Huapi, o Mirador Inalco.

Nahuel Huapi mirante Inalco, logo  saindo de Villa La Angostura

Nahuel Huapi mirante Inalco, logo saindo de Villa La Angostura


Em seguida passamos por um laguinho, onde não é permitida pesca, camping nem fazer fogo por perto. É a Laguna Ceferino. Essas bolas amarelinhas na foto abaixo são líquens. Há deles por toda a parte.

Laguna Ceferino, depois de Villa La Angostura

Laguna Ceferino, depois de Villa La Angostura


Andamos mais um pouco e vimos a placa indicando o Lago Espejo, que fica bem na beira da estrada. Fácil fácil de chegar. Nesse lago existe área de acampamento com fogão, mesas e alguma estrutura.

Lago Espejo, bem na beira da estrada. Rota dos 7 Lagos

Lago Espejo, bem na beira da estrada. Rota dos 7 Lagos

Área do lago Espejo, boa para camping.

Área do lago Espejo, boa para camping.


Saímos do lago Espejo e retornamos à ruta. Um pouco mais no caminho e encontramos um mirante para ver o Espejo de cima. É uma linda paisagem!

Mirante do lago Espejo. Ruta de Los Siete Lagos

Mirante do lago Espejo. Ruta de Los Siete Lagos


Em seguida passamos pela Ponte Vieja que corta o Arroyo Ruca Malen.

Arroyo Ruca Malen. Ruta de los Siete Lagos. Villa La Angostura, Argentina

Arroyo Ruca Malen. Ruta de los Siete Lagos. Villa La Angostura, Argentina


Nem andamos muito e já vimos a plaquinha indicando a entrada para o Lago Espejo Chico, que não faz parte dos 7 lagos. Passamos por uma porteira e andamos cerca de 2km até o lago. Lá, casa, banheiro e novamente área para camping. Muito bonito.

Porteira para o caminho até o Lago Espejo Chico

Porteira para o caminho até o Lago Espejo Chico

Lago Espejo Chico. Ruta de los 7 Lagos

Lago Espejo Chico. Ruta de los 7 Lagos


No Lago Espejo Chico fizemos nossa foto “oficial” desse passeio:
Eu e Marcos no Lago Espejo Chico

Eu e Marcos no Lago Espejo Chico


A viagem foi regada a biscoitinhos que compramos no mercado em Bariloche. Também levamos água, barrinha de cereais e outros petiscos pois no caminho, especialmente nessa época do ano, não tem nenhum estabelecimento aberto.

Mais um dos muitos mirantes da Rota dos 7 Lagos

Mais um dos muitos mirantes da Rota dos 7 Lagos


São tantos lagos que confesso, me perdi nas fotos…. tem hora que confunde a cabeça. :)

Lago Correntoso que encontramos mais de uma vez pelo caminho

Lago Correntoso que encontramos mais de uma vez pelo caminho


No Lago Correntoso encontram-se alojamento e camping. A entrada é de fácil acesso e o lago, perto da estrada.

Vegetação pitoresca em mais um ponto do lago Correntoso. Acesso fácil por uma estradinha curta

Vegetação pitoresca em mais um ponto do lago Correntoso. Acesso fácil por uma estradinha curta


Em algumas partes do trajeto o sol apareceu, as nuvens voltaram, choveu, fez muito frio, fez um pouco de calor… tempo doido demais.

Parte da estradinha de cascalho que faz parte desse caminho

Parte da estradinha de cascalho que faz parte desse caminho


Para os mais dispostos e com mais tempo, uma boa opção é fazer um desvio na rota e pegar a estradinha até o Lago Traful. A Villa Traful fica a poucos quilômetros da rota e dizem ser muito bonita. No vilarejo é possível almoçar e visitar vários pontos do lago. Nós não fomos, o tempo ruim tirou um pouco do nosso ânimo e esse lago vai ficar pra a próxima visita.

É importante ficar de olho no caminho, nas entradinhas e nos vários mirantes ao longo do trajeto. Passamos por um trecho com lindas árvores e o lago verdinho abaixo. Claro, paramos para fotos.

Um lindo conjunto de árvores com águas verdes abaixo

Um lindo conjunto de árvores com águas verdes abaixo


Estávamos já saindo quando parou um casal por ali. Nos comprimentamos com o “hola” de sempre sem saber se eram argentinos, brasileiros ou estranjeiros. Pegamos a estrada novamente e felizmente aqui acaba o rípio! Agora o trecho é de asfalto até o fim.

Ai, muitos lagos, muitos mirantes, muita poeira e o cansaço já estava chegando. Confesso que fiquei com preguiça de procurar um ângulo melhor para a foto abaixo. :|

Pedacinho do Lago Villarino visto de cima num momento de preguiça

Pedacinho do Lago Villarino visto de cima num momento de preguiça


No Lago Villarino existe alojamento, camping e restaurante nos meses de verão.

Nossa, quanto lago! Ainda bem que fomos com tempo suficiente para curtir um pouquinho os que visitamos.

Mais um lindão para registrar, o Falkner (acho que é, me confundi com tanto lago e tantas fotos)… nesse lago também existe área permitida para camping.

Lago Falkner, bem na pontinha da estrada... lindo!

Lago Falkner, bem na pontinha da estrada… lindo!


No Falkner reencontramos o casal e descobrimos que também eram brasileiros. O Bruno de Formigas (MG) e sua companheira também adoraram a ruta. Voltamos a nos esbarrar em outras paradas pelo caminho. Enquanto conversávamos, duas vacas resolveram atravessar a rua e, bem, nada aconteceu, mas como elas estão por várias partes do caminho, é sempre bom prestar atenção e dirigir devagar.

Vaquinhas atravessando a rua em frente ao Lago Falkner

Vaquinhas atravessando a rua em frente ao Lago Falkner


Uma paradinha já no fim do trajeto para um clique rápido da Cascada Vullignanco, vista de um mirante na beira da estrada. A queda tem 20 metros de altura e se divide em duas, separadas por uma rocha.

Cascada Vullignanco clicada da estrada

Cascada Vullignanco clicada da estrada. 20 metros de queda


O penúltimo lago do dia foi o Hermoso, onde também é permitido acampar. Para chegar a ele entramos em uma estradinha de terra bem interessante. No trajeto até o lago Hermoso existem muitas casinhas charmosas de madeira. São casas de veraneio e ficam fechadas nos meses de inverno. Enquanto percorríamos a estrada vimos um grupo de cervos atravessando-a, bem a nossa frente. Ah, que legal! Primeira vez que vimos cervos de tão pertinho. :)

Lago Hermoso na "contra-luz"

Lago Hermoso na “contra-luz”


A poucos metros da praia do lago Hermoso, existe uma cascata de fácil acesso, com dois saltos e águas verdes. Infelizmente não tínhamos tempo para explorar os lagos, mas ficou a vontade de conhecer.

Estávamos cansados, doidos pra tirar a poeirada num bom banho. A visita ao lago Hermoso foi breve e pegamos a estrada novamente.

Chegando a San Martín clicamos o último dos lagos que visitamos, o Lácar.

Lago Lácar com a cidade de San Martín de Los Andes ao fundo

Lago Lácar com a cidade de San Martín de Los Andes ao fundo


São muitos lagos lindos, muitos momentos bacanas e muita foto pra tirar. É um passeio que exige tempo e disposição para passar o dia todo na estrada fazendo várias paradas. Várias agências nas duas pontas do trajeto oferecem esse passeio com ida e volta no mesmo dia. Acho MUITO cansativo para um dia só. Mas na falta de tempo, vale!

A Rota dos Sete Lagos é feita também de bike nos meses de verão. Claro que é preciso cautela e atenção para pedalar nessa rota já que ela fica cada dia mais popular e movimentada. Para os que desejam percorrê-la de bike, aconselha-se um período de quatro dias com pernoite em alguns dos diversos campings da região. É possível acampar em vários dos lagos da rota com certa infra-estrutura. Outros lagos não possuem infra-estrutura alguma. Antes de empreender uma viagem dessas, escolha bem os pontos de pernoite para não perder nada desse lindo trajeto.

Para os que vão de carro com tempo para relaxar, também vale a pena pernoitar em alguns desses lagos. Na maioria deles é possível fazer pequenas caminhadas e encontrar quedas d’água e paisagens diferentes. Excelente oportunidade para boas fotos!

Fomos em setembro. Ainda fazia bastante frio e os lagos que visitamos eram só “nossos”, ninguém por perto.
Uma opção é fazer um pique-nique na beira de um deles, curtindo a paisagem e descansando.

Durante a alta temporada de verão é possível encontrar alojamento e outros serviços em alguns trechos do caminho, além dos lagos. Em Villa La Angostura há uma grande opção de campings à beira do lago Nahuel Huapi e alojamentos para o mochileiro.

Preste bastante atenção pois a entrada para alguns dos lagos é um pouco escondida e fácil de perder. Nós perdemos a do Lago Escondido. :)

Nos meses de inverno a ruta pode ser fechada por conta da neve. Antes de pegar a estrada, informe-se sobre a condição das estradas.

San Martín de Los Andes é uma cidade com ótima estrutura turística. Não fizemos reserva em hotel pois fomos em baixa temporada, mas na alta é recomendável reservar. Ficamos no Hotel del Viejo Esquiador e no dia seguinte retornamos a Bariloche pelo trajeto mais longo e todo asfaltado passando por Rinconada.

Veja nosso vídeo feito durante o trajeto de Bariloche a San Martín de los Andes:

Veja nossos outros posts sobre Bariloche:
Sessenta dicas rápidas sobre Bariloche e região
Como se vestir na neve
Roteiro de 4 dias em Bariloche
Circuito Chico e Cerro Campanário, Bariloche
Hotel del Viejo Esquiador, San Martín de los Andes
Hotel Nahuel Huapi, Bariloche
Domingo de neve no Cerro Otto, Bariloche
Villa la Angostura e Cerro Bayo
Onde comer (ou não) em Bariloche e San Martín
Cerro Catedral, o centro de esqui mais importante do hemisfério sul
Bariloche: geral
De San Martín de Los Andes a Bariloche por Rinconada
Cerro Tronador e Ventisquero Negro, PN Nahuel Huapi
Isla Victoria e Bosque de Arrayanes

Gostou do artigo? Dê um “curtir” e compartilhe com seus amigos!

Para ver mais fotos da Rota dos Sete Lagos, visite nossa página no Facebook.


Siga-nos no Twitter: @viagensandancas (www.twitter.com/viagensandancas)
Curta o Viagens & Andanças no Facebook: www.facebook.com/viagenseandancas

    Receba nossas atualizações por e-mail:



32 Responses to Rota dos Sete Lagos, de Bariloche a San Martín de Los Andes

  1. Daniel Sander disse:

    Boa tarde Camila!

    Parabéns pelo blog. Imprimi todos os textos para ler. Gastei uns dois cartuchos de tinta, hehehe.

    Me tira uma dúvida: eu a minha namorada vamos na metade de julho, altíssima temporada. Vamos alugar um carro pra fazer a Rota dos 7 Lagos. Podemos alugar quando chegarmos lá ou é melhor alugar daqui?? Existe algum risco de não conseguir um carro se deixarmos pra alugar lá?? Sugere alguma empresa??

    Abraço!

    • Camila Guerra disse:

      Olá, Daniel!
      Que bom que nossos posts estão ajudando no planejamento da sua viagem.
      Acho que o ideal é você partir com algo já fechado daqui. Digo isso pois você pode correr o risco de ficar sem carro sim. Além disso, vai ter que perder tempo para alugar um por lá, já que nessa época fica tudo lotado. Outro problema é que você pode se ver obrigado a alugar algo que não era o que desejava, por falta de opção. Se fechar antes, é bem provável que consiga um preço melhor do que conseguirá ao chegar lá.
      Nós alugamos com a emrpesa Correntoso e foi tudo ok. Não conheço outras empresas, mas deixo uma lista para você dar uma olhada: http://www.barilocheturismo.gob.ar/servicios/rent-a-car
      []’s

  2. Josély Graziano disse:

    Oi Camila! Também sou uma apaixonada por viagens. Sou médica, e quando tenho alguma “janela”, fico fuçando e sonhando com as próximas… Foi assim que me deparei com seu blog e… adorei!!!
    Super bem escrito, lindas fotos, dicas valiosas, enfim… parabéns!!!
    Estou programando essa viagem para final de junho/início de julho/2014, tenho de viajar em férias escolares pois tenho 2 filhos (10 e 14 – quase 15 – anos). Os meninos nunca viram neve, por isso achei que seria interessante fazer esse roteiro no inverno, aproveitando para conhecer as estações de esqui (Cerro Catedral e Chapelco).
    Minha “programação preliminar” é: voar até Bariloche, passar uns 4 dias lá, fazer a rota e ficar mais uns 3 a 4 dias em San Martin de los Andes, voltando de lá para o Brasil. O que vc acha??
    Já programei uma viagem pra Trancoso em janeiro/2014, mas confesso que, lendo seu post, fiquei com vontade de ir já no verão para lá, além disso, tenho receio da rota estar fechada… mas acho que não deve haver tanta neve no início de julho, né?
    Será que em janeiro seria mais agradável??? Sei que há prós e contras nas 2 opções e só nós podemos decidir, mas, já que vc é tão simpática com todos que escreveram, agradeço se vc der sua opinião… Bjs!

    • Camila Guerra disse:

      Olá, Josély!
      Obrigada! Fico super feliz que esteja gostando de nos ler.
      Bariloche é bacana também no verão e pode render bons banhos de lago, mas eu amei a região no inverno! Meu conselho é que vá na estação da neve mesmo e deixe o verão para uma outra oportunidade. Especialmente porque seus filhos ainda não tiveram contato com a neve. Acho que vão se divertir pra valer. Programe esqui/snowboard, esqui bunda e outras atividades com neve.
      Quanto a rota dos 7 lagos estar fechada, não há como prever, mas acredito que no fim de junho/início de julho, não deva estar. A não ser que caia uma nevasca forte por alguns dias. Tempo na montanha é meio imprevisível…
      Sua programação está legal. Infelizmente não tive oportunidade de aproveitar San Martín, mas é uma cidade muito aconchegante e também com muitas coisas para fazer.
      Bariloche no inverno ou verão é uma escolha muito pessoal mas, na minha opinião, o mais bacana de lá é justamente o que não temos aqui: Neve! :)
      []’s

  3. Thiago Leite disse:

    Bom dia Camila,

    Parabéns pelo site e pelas dicas, me ajudou muito.
    Estou indo de Lua de mel em fevereiro de 2014 para Chile/ Argentina, vamos ficar 3 dias em Pucón, de lá para San Martin (1 dias), de San Martin para Bariloche (2 dias) e por fim, Puerto Varas ( 3 dias). Nossa dúvida é exatamente como fazer a rota dos 7 lagos, a agência que achamos cobra 174 dólares, então pensamos em alugar um carro e fazer por conta própria. Quanto você pagou mais ou menos no aluguel? Você acha que vale a pena ir de carro mesmo pagando um taxa a mais para deixar o carro em Bariloche, já que pegaremos ele em San Martin? Se tiver outras dicas…
    Obrigado desde já!

    • Camila Guerra disse:

      Oi Tiago!
      Obrigada!
      Olha, eu acho que vale MUITO a pena fazer de carro. Viajar é isso, a gente paga por experiências, sempre avaliando o custo x benefício, que nesse caso considero ser muito bom. Embora a gente sempre pense em economizar, considere quantas vezes você vai ter a oportunidade de voltar para fazer essa rota… talvez não volte mais, talvez decida ir a outros lugares. E aí, por alguns $$ a mais, vai perder a oportunidade de passar um dia bacana “sozinho” com a esposa. Então, meu conselho é: alugue o carro, pague a taxa extra e faça o passeio tranquilo, no seu tempo, aproveitando o caminho.
      Acho que paguei em 2012 AR$ 380 com km livre, tanque cheio, etc. Esse ano os preços são outros e 2014 certamente estarão mudados também.
      Te aconselho a sair bem cedinho pois são muitos lagos e é bom visitá-los com calma. Se puder pegue um carro com ar condicionado pois nos trechos de rípio os carros levantam bastante poeira e aí você vai querer fechar os vidros. Como você vai no verão, os vidros fechados vão esquentar ainda mais…. :)
      []’s

  4. Olá Camila,
    Parabéns pelo post. :D
    Sua dicas são muito boa e muito interessantes.
    Fica uma dica para você e seus leitores: Ao alugar um carro em Bariloche, não deixe de dar uma olhadinha em nosso site: http://br.autoeurope.com/ .
    Garantimos o melhore peço para o seu aluguel em Bariloche e em mais de 8000 localidades pelo mundo!
    Abraços,
    Equipe Auto Europe

  5. Evandro disse:

    Olá Camila, adorei sua viagem e suas fotos simplesmente maravilhosas.
    Irei para Bariloche no dia 20 de maio, pretendo ficar 4 dias lá..poderia me dar algumas dicas, para este meu tempo tao curto..rss.Tudo que puder me ajudar será bem vindo , pois esta é minha primeira viagem internacional

    • Camila Guerra disse:

      Olá Evandro!
      Você vai adorar Bariloche. Acho que é impossível não gostar de lá.
      Bem, em maio provavelmente você não vai pegar neve. Talvez um pouquinho no alto da montanha se você for sortudo. Mas certamente não pegará neve para esquiar. Então sua viagem será parecida com a minha. Você pode seguir nosso roteiro, que descrevo no post geral sobre Bariloche.
      Sobre dicas, é um prazer ajudar, mas não sei exatamente o que você precisa. Se refere a dica de roteiro? Se sim, me diz se esses 4 dias que você tem são inteiros ou se incluem chegada e partida e qual o horário aproximado da sua chegada / saída para eu poder te sugerir passeios.
      []’s

      • Evandro disse:

        Oi Camila…..
        Então, quanto ao roteiro chegarei no dia 20/05 com horário previsto pra 16:00hs.Já o retorno esta agendado pro dia 27/05, mas estou querendo antecipar em dois dias estre trecho ja que minha esposa estara de quase 04 meses e estou com um pouco de receio quanto a alimentação e outras coisinhas mais….Voltando ao roteiro, ja pensando no corte dos dias….terei os dias 21,22,23 e 24 inteiros.Caso tenha um pouco mais, se puder me ajudar …estaremos embarcando pra Buenos Aires dia 14/05,chegando as 16hs —Buenos Aires- Bariloche 20/05, saida as 12:00hs; e Bariloche- Buenos Aires 27/05,ou 25/05.
        Como ja comprei a parte aérea….esotu pensando em fazer este remanejamento, ou outros pode me ajudar..rs.
        Desde ja agradeço…

        • Camila Guerra disse:

          Ok, então vamos desconsiderar o dia de chegada e o dia de partida.
          A rota dos 7 Lagos é muito bacana, mas acho um passeio puxado para a sua esposa que está grávida. A parte de rípio da estrada tem muita poeira, muita curva e trepida muito também. Além disso, você não tem muito tempo e voltar no mesmo dia, pra ela, nem pensar! Pensando nisso, minha sugestão:
          Dia 1: Circuito Chico com Cerro Campanário (com agência) + Cerro Otto (com o ônibus gratuito do próprio cerro)
          Dia 2: Cerro Tronador e Ventisquero Negro (com agência). Nesse passeio costuma ter uma caminhadinha de uns 300mts, que eu não fiz pois estava fechada, até a cascada Los Alerces. Se preferir pode pular essa parte.
          Dia 3: Villa la Angostura e seus lindos portos (passando um pouco o centrinho de Villa você vê alguns lagos muito bonitos no asfalto mesmo, como é o caso do Correntoso e do Nahuel Huapi. Aproveite e almoce em Villa) + Bosque de Arrayanes. (Seria bom você alugar um carro) .
          Dia 4: Cerro Catedral, a vista é linda (carro, ônibus ou agência). Quando chegar de volta em Bariloche pode vistar o museu do chocolate (é caminho, mas só compensa no meio da semana pois fim de semana a produção não funciona), visite a Catedral de N. Senhora del Nahuel Huapi e assista ao pôr do sol do Centro Cívico.
          No dia de ir embora, aproveite para passear pela Rua Mitre e comprar lembrancinhas

          Existem outras opções como o lacustre Puerto Blest e Cascada Los Cántaros, mas há uma escadaria grande pra subir. Outra opção de lacustre é o Isla Victoria y Bosque de Arrayanes. Mas… não sei se muito tempo em barco é uma boa idéia para grávidas. Por isso coloquei o Bosque de Arrayanes por Villa la Angostura. :)
          Tem também El Bolsón onde há uma feira grande de artesanato em determinados dias da semana, acho que terça, quinta, sábado e domingo. É longe de Bariloche, passeio de dia inteiro.

          Enfim, nessa época sem neve, é mais ou menos isso.
          Se ainda tiver dúvida, é só falar. ;)

          []’s

          • Evandro disse:

            Olá Camila….
            Me diz uma coisa, quando vocês fizeram os passeios, reservaram antes, ou o fizeram assim que chegaram ai?.O carro alugaram na hora tb?.

          • Camila Guerra disse:

            Deixamos para contratar tudo lá mesmo, inclusive o carro. Como você vai numa época tranquila, ainda baixa temporada, sugiro que faça o mesmo. Não corre risco de ficar sem vaga ou sem carro. Se preferir reservar o carro por aqui mesmo, também pode mas os passeios acho besteira pois lá você pode adaptar seu roteiro de acordo com o tempo ou com a sua vontade. Na rua Mitre e em suas transversais tem inúmeras agências para aluguel de carros e passeios.
            []’s

  6. Oi Camila, sou apaixonada por fotografia, as suas estão maravilhosas… Se ficaram lindas assim com um tempo desse, imagino se o tempo estivesse melhor! Pretendo ir em Julho desse ano. Seus posts e sua maneira de relatar os lugares ..parece que eu estava lá sabia? Ja salvei seu blog no favoritos pois vai me ajudar muito na minha viagem. O aluguel de carro é mito caro? Vamos eu emais 2 amigas não sei se conseguiria dirigir na neve rsrs

    Se quiser me add no facebook para compartilharmos fotos esse é o linck http://www.facebook.com/talita.peixoto.77

    Beijoss Fique com Deus

    • Camila Guerra disse:

      Olá Talita!
      Obrigada pelos elogios! Que bacana que você vai pra lá. A região é divina!
      Tomara que você pegue um tempo melhor… motivo para foto não falta, você vai ver.
      Ainda tem post sobre Bariloche por vir, fique de olho. :)
      Quanto ao aluguel do carro, não é baratinho não. Como você vai em alta temporada, vai pegar os piores preços. Te aconselho a reservar com antecedência e tentar um desconto. E, claro, torcer pro Real valorizar né?
      Para fazer esse passeio vale a pena alugar o carro!
      Já te adicionei no FB. ;)
      []’s,
      Camila

  7. Pedro Zuzmann disse:

    Parabéns Camila!
    Que post bonito. As fotos que fizeram ficaram muito boas com tempo ruim e tudo. Sorte e competência. Vi outros posts do blog e todos eles com fotos muito bonitas.
    Estive em Bariloche há uns anos atrás e tive a oportunidade de fazer esse caminho no verão. É muito bonito sim e digno dos elogios que fez no seu texto. Estou planejando voltar justamente para acampar por alguns dias não só nessa rota mas por outros locais da região.
    Pedro

  8. Jussara disse:

    Muito interessante esse passeio. Adorei as fotos.
    Vou a Bariloche no ano que vem e aí pensei de fazer também esse passeio que você fez.
    Quero ir em agosto. Você acha que esse passeio vai estar fechado? Tem que alugar carro?
    Tem hotel na beira desses lagos onde dá pra curtir o frio com uma lareira e um vinho?
    Obrigado. Muito legal essa viagem.

    • Camila Guerra disse:

      Olá Jussara, obrigada!
      O passeio é muito bacana e a rota fica aberta no inverno também mas antes de pegar a estrada informe-se pois em agosto costuma nevar bem e pode ser que a rota esteja intransitável. Dependendo da condição do tempo você pode pegar neve no caminho. Precisa ficar de olho pois talvez seja necessário o uso de “cadenas” (correntes no pneu que se usa para transitar na neve).
      Alugar um carro é a melhor maneira de você fazer a 7 Lagos pois tem liberdade para parar quando, onde e por quanto tempo quiser, mas existem agências que oferecem esse passeio de van.
      Nos lagos só há mesmo camping. Ao longo da rota você acha alguma hospedagem mas não creio que consiga no inverno.
      []’s

      • Burcu disse:

        Bariloche e9 conhecida como “Brasiloche”. c9 vedrade que os brasileiros adotaram este destino como estae7e3o de esqui dos brasileiros? Acredito que sim. Apesar de hoje existirem outros destinos excelentes para pre1tica de esqui, como Valle Nevado no Chile, Las Lenas na Argentina, Termas de Chillan no Chile, Cerro Castor em Ushuaia na Argentina .enfim, diversos complexos de esqui muito bons, Bariloche ainda e9 o mais conhecido e popular, ale9m de oferecer bons pree7os. E o mais importante e9 que vem todo ano melhorando sua infra-estrutura para ski. Ale9m disso, para quem ne3o gosta do esqui, os passeios para Isla Victoria, Bosque de Arrayanes, Circuito Chico, etc. se3o muito bonitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Scroll to top