Pin It
Home » Dicas » Saiba como viajar com ou sem seus animais de estimação


Como viajar com animais

Como viajar com animais

Muitas pessoas acabam deixando de viajar por que não querem deixar para trás seus amigos peludos. Por isso, fomos investigar o que é necessário para levá-los conosco. A documentação necessária e o nível de exigências variam um pouco de acordo com o tipo de transporte, a empresa que transporta e os destinos. Portanto, é importante verificar as exigências de cada companhia aérea, modalidade e países antes de decidir viajar com seu peludo.

Peludos em viagens nacionais

Nas viagens nacionais, é obrigatório que o bichinho tenha um atestado de saúde assinado por um veterinário registrado no Conselho Regional de Medicina Veterinária e os registros da vacinação antirrábica que o animal recebeu. Isso vale para qualquer meio de transporte, inclusive o seu carro.

Peludos em viagens internacionais

Para as viagens internacionais é necessário ter o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI), emitido pela autoridade sanitária do país de origem. Aqui no Brasil, o CZI é emitido pelo Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional, que é vinculado ao Ministério da Agricultura. Aí você precisa agendar uma consulta com o médico veterinário do Ministério da Agricultura. Eles têm postos distribuídos em aeroportos, portos e em pontos de fronteira. O certificado emitido no Brasil só vale para o trecho de ida. Para voltar, você vai precisar contactar o Ministério da Agricultura do país onde você estiver com seu peludo para que ele emita novo certificado. Você vai precisar do CZI para qualquer tipo de transporte internacional, não só o aéreo.

Seu peludo também quer viajar! :)  (Foto:breadandcircusnetwork)

Seu peludo também quer viajar! :) (Foto:breadandcircusnetwork)

Antes de viajar, verifique também na embaixada/consulado do país de destino quais são as exigências do país com relação a receber animais em seu território. As condições variam de país para país.

Para entrar na Europa, por exemplo, além do CZI, você precisa aprensentar um exame de sorologia comprovando que o resultado das vacinas contra raiva foi eficaz. Fique atento e programe com antecedência pois essa burocracia toda demora para ficar pronta.

Dentre os países mais exigentes, estão Inglaterra, Austrália, Nova Zelândia e África do Sul.

Viajar com seu bicho de estimação é tudo de bom. Mas você precisa cumprir as exigências

Viajar com seu bicho de estimação é tudo de bom. Mas você precisa cumprir as exigências. (Foto: sxc.hu)

Quanto custa

Taxa? Claro que tem! Nos transportes aréreos para destinos nacionais atualmente a Gol e a TAM, por exemplo, cobram R$ 90 (noventa reais), mais o peso da caixa de transporte + o animal, multiplicado pelo valor correspondente a uma porcentagem da tarifa cheia do trecho a ser voado (geralmente 0,5% a 1%).
Nos vôos internacionais, além do valor fixo, você paga excesso de bagagem + impostos dependendo do destino.

Exigências

A TAM e a Avianca, por exemplo, aceitam que levemos cães e gatos na cabine conosco, dentro de uma caixa de trasporte. Na TAM, a caixa deve ter no máximo 10kg (bicho + caixa). Mesmo assim, essa permissão só vale para vôos TAM, o que exclui os vôos operados por outras cias aéreas.

Algumas cias aéreas permitem animais pequenos na cabine

Algumas cias aéreas permitem animais pequenos na cabine. (Foto: Wooftown)

Transporte aceito por cias aéreas

Transporte aceito por cias aéreas

A Avianca permite somente um animal por vôo, a não ser que haja cão guia para embarcar.

Em todos os casos, o bichinho precisa ter mais de quatro meses para fazer sua primeira viagem e estar em um transporte específico (à venda em pet shops). Na hora de comprar o transporte, siga as exigências das cias aéreas: o transporte precisa ser de material firme, liso e resistente a vazamentos (forrado com material que absorva urina) além de ser ventilado e seguro com trancas confiáveis. O bichinho precisa ter espaço suficiente para dar uma volta completa em torno de si mesmo, para evitar que ele fique nervoso e se machuque. Ninguém gosta de viajar apertado, né?
Ah, e cuidado com o peso. Na Gol por exemplo, caixa + bicho têm que ter no máximo 30kg e não pode passar dos 86cm (A) x 122cm (L) x 135cm (C)! Até esse peso, os animais de estimação viajam como bagagem despachada no porão do avião (também pressurizado e com temperatura igual a da cabine). Se for mais pesado que isso, também tem jeito. Vai ter que despachá-lo como carga com o serviço de transporte de carga da cia aérea em questão.
Não preciso nem dizer que você tem que identificar o transporte com o nome do animal, seu nome, endereço e telefone e seu código de reserva (localizador). Não vá perder seu bicho por aí….
Se o bichinho for muito feroz ou estressado ou o trecho da viagem for muito longo, ele precisará estar devidamente sedado. Para os peludos ferozes, você terá que assinar uma declaração de responsabilidade.

Mesmo cumprindo com as exigências, a Gol por exemplo, não transporta qualquer raça. Antes de viajar, informe-se se o seu peludo é aceito pela companhia aérea.

Se optar por levar seu amiguinho para uma viagem, ele deverá chegar no aeroporto bem limpinho. Se chegar com cheirinho ruim, vai ter que despachá-lo é de volta pra casa pois as companhias de transporte não aceitam bichinho sujo e fedorento.

É, levar seu bichinho de estimação para viajar com você dá trabalho, mas pode ser muito divertido. Só você pode julgar se compensa o esforço. Além do transporte, você vai ter que pesquisar hotéis que aceitam animais, restaurantes e locais de visitação que dêem acesso livre a animais de estimação.

Aqui uma lista de algumas companhias aéreas e suas explicações sobre o transporte de animais. São muitas, portanto, essa é uma “mini-lista” só pra dar uma idéia:
Transporte de animais na Gol
Transporte de animais na TAM
Transporte de animais da Avianca
Transporte de Animais na Azul
Transporte de animais na Delta
Transporte de animais na Lan
Transporte de animais na Aerolíneas Argentinas

Há alguns anos atrás um ex-chefe meu resolveu levar seu pastor alemão com ele quando retornou para seu país, os Estados Unidos. Ele havia ficado no Brasil por dois anos e o cachorro tinha ido morar com ele ainda filhote. Bem, ele se afeiçoou ao bichinho e decidiu que iria levá-lo. Confesso que deu trabalho. Ainda bem que inciamos o processo todo com bastante antecedência da viagem dele, o que nos daria uma boa margem de segurança em caso de dúvida ou de algum erro de nossa parte. Portanto, planejar é essencial!



Cães-guia

Quem depende de seus cães-guia pode ficar tranquilo pois eles são admitidos nas cabines junto a seus donos desde que estejam usando coleira e guia. Ah, e eles não pagam taxa! Mas é importante que a companhia de transporte seja avisada com antecedência e que tudo seja registrado, para evitar problemas na hora do embarque.

Viagens de carro

Para as viagens de carro, você também precisa ter o atestado de saúde assinado por um veterinário habilitado. As viagens rodoviárias internacionais seguem as mesmas regras das aéreas.

Não se esqueça de incluir em seu roteiro algumas paradas na estrada em períodos de 2 a 3 horas, para que seu cachorrinho possa beber água, fazer suas necessidades fisiológicas e respirar um pouquinho de ar fresco. Aproveite e estique as suas patas, quero dizer, pernas também! :)

Fique atento pois o código de trânsito brasileiro proibe conduzir animais nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados. Então não dá pra colocar o peludo na caixa e amarrá-lo no bagageiro. Essa infração é considerada grave, prevê multa, pontos na carteira e retenção do veículo. Proíbe também o motorista de transportar animais entre seus braços e pernas, com as mesmas penalidades descritas acima. O código no entanto não fala nada sobre caixas de transporte e coleira, mas essa é, sem súvida, a maneira mais segura de transportar os animais.
Quem não quer levar o bichinho nas caixas de transporte, pode usar também uma cadeira para o transporte dos peludos, existe uma específica para esse fim. O assento fica preso ao banco do carro por um cinto de segurança. Outra opção é usar a mala (ou parte dela, dependendo do tamanho do animal e da mala) para que o cãozinho viage ali com mais conforto e não atrapalhe o motorista.

A companhia do nosso animal de estimação garante muita diversão. Mas trás responsabilidades.

A companhia do nosso animal de estimação garante muita diversão. Mas trás responsabilidades. (Foto: sxc.hu)

Viagens de ônibus

Você pode transportar seu peludo no ônibus também, desde que as regras da cia de trasporte sejam atendidas. Ele dever ser levado na caixa de transporte e estar dentro do limite de peso permitido por passageiro para usar o bagageiro do ônibus.

Viagens de navio

Novamente há uma variação nas exigências dependendo da empresa de navegação. De qualquer maneira, todas exigem que o animal esteja na caixa de transporte e algumas empresas permitem que os animais pequenos viajem na cabine com seus donos, a exemplo de algumas cias aéreas.

Nas balsas de transporte de veículos, os animais são permitidos dentro dos carros.

As taxas também variam dependendo da classe, destino e período da viagem.

Nos cruzeiros, a situação complica. As regras sanitárias a serem seguidas são rigorosas, o que faz com que atualmente no Brasil os animais não sejam admitidos nos cruzeiros. Os cães-guia, no entanto, são permitidos. No exterior alguns cruzeiros aceitam animais.

Não quer levar seu bichinho na viagem?

Calma! Existem outras opções para quem prefere deixá-los.

Hoje em dia é comum encontrar hotéis para animais. Não é a opção mais barata, mas geralmente é a mais segura. O legal dos hotéis é que os bichinhos podem interagir com outros bichinhos e não ficam sozinhos. É ideal para os peludos sociáveis. Encontrar novos cães pode, no entanto, ser uma experiência ruim para os peludos mais estressados. Nesse caso, estude outras opções. Se optar pelo hotel, vá visitar as instalações e analise as condições de higiene e trato dos animais e do local. Certifique-se também que há acompanhamento veterinário, pelo menos em caso de emergência.

Num hotel, seu peludo pode fazer amigos e se divertir também. (Foto: sxc.hu)

Num hotel, seu peludo pode fazer amigos e se divertir também. (Foto: sxc.hu)

Deixar seu bichinho com amigos e parentes é outra opção bacana. Geralmente sai mais barato e temos mais tranquilidade para viajar sabendo que eles estão em boas mãos.

Para os bichinhos mais estressados, talvez a melhor opção seja contratar alguém para alimentá-los, limpar o local e dar atenção TODOS OS DIAS. Sim! É claro que ficar mais tempo sozinho pode gerar também um certo estresse.

Outros animais

Outros tipos de animais, como coelhos, furões, aves e iguanas, exigem procedimentos diferentes e uma Guia de Trânsito Animal, também emitida pelo Ministério da Agricultura ou pelo órgão executor da defesa sanitária do estado de origem do animal. Os animais silvestres já são outra história. Esses precisam de autorização do Ibama e a burocracia é beeem maior.

Agora você já tem idéia de como levar seu animal de estimação para viajar. Faça as suas considerações e veja qual a melhor opção de acordo com seu bolso e com o temperamento dos seus animais. E boa viagem!

Gostou do artigo? Dê um “curtir” e compartilhe com seus amigos!


Siga-nos no Twitter: @viagensandancas (www.twitter.com/viagensandancas)
Curta o Viagens & Andanças no Facebook: www.facebook.com/viagenseandancas

    Receba nossas atualizações por e-mail:



3 Responses to Saiba como viajar com ou sem seus animais de estimação

  1. Muito interessante! Obrigado por este artigo.

  2. Wilburn Pope disse:

    É importante saber que o número de animais é limitado por voo, e que todas as companhias aéreas seguem uma legislação específica para o transporte de animais. A primeira coisa exigida para transportar seu animal em um avião é um atestado que certifique que ele está em boas condições de saúde para a viagem. É necessário também apresentar o histórico de vacinação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Scroll to top