Pin It
Home » Viagens fora do Brasil » Bodega Andeluna no Vale do Uco – Mendoza, Argentina


Em nosso terceiro dia em Mendoza visitamos a Bodega Andeluna, no lindíssimo Vale do Uco, cercado pelas montanhas da Cordilheira dos Andes e produtora de excelentes vinhos.

A Andeluna foi a nossa primeira visita desse dia com o Luciano, outro motorista que trabalha em cooperação com o Leonardo Harth.

Nessa viagem decidimos não alugar carro porque queríamos liberdade para experimentar os vinhos. E como bebida alcoólica e direção não combinam e nós não queríamos ficar engessados nos tours das agências, contratar um carro com motorista (remis) foi a opção que melhor nos atendeu.

Quem está com a grana curta pode analisar ir com agência ou com o ônibus vitivinícola. Ambas opções são mais baratas que um remis.

Chegando na Andeluna

Chegando na Andeluna


O Vale do Uco é a região de vinícolas que fica mais afastada da cidade de Mendoza e a viagem até lá leva cerca de 1h30, que passa voando. É que a Cordilheira dos Andes é tão fascinante que a gente não cansa de namorá-la por todo o trajeto.

A Andeluna fica localizada a 1.300 metros de altitude no distrito de Gualtallary, Tupungato, no Vale do Uco. Ela nasceu em 2003 e está presente hoje em 30 países, além da Argentina. Entre eles, o Brasil.

Durante o trajeto a Cordilheira nos acompanha. Nesse dia, mesmo com nuvens não tiramos os olhos dela.

Durante o trajeto a Cordilheira nos acompanha. Nesse dia, mesmo com nuvens não tiramos os olhos dela.


Na Andeluna fomos recebidos pelo Maurício, o somellier da bodega, que nos deu uma excelente aula sobre uvas, vinhedos, clima, processos etc.

Chegando na Bodega Andeluna, Vale do Uco

Chegando na Bodega Andeluna, Vale do Uco


Há muito o que aprender, é claro, mas essa visita é excelente para quem conhece pouco ou nada sobre tudo o que envolve o mundo dos vinhos. Pequenos detalhes como, por exemplo, as características das videiras, permitem que o visitante saia de lá sabendo identificar uma videira de Cabernet Sauvignon cujas folhas têm 5 pontas, e as de Malbec, com 3 pontas. Cada uva expressa em suas folhas uma característica diferente.

Próximo às parreiras, recebemos um aula sobre os vinhos e a região.

Próximo às parreiras, recebemos um aula sobre os vinhos e a região.


As colheitas em Mendoza são feitas em fevereiro, março e abril e entre fevereiro e março a cidade realiza a Festa Nacional Vendimia, uma festa tradicional que acontece desde o ano de 1936 e que visa celebrar não só a colheita, mas também todo o processo de transformação da uva em vinho, inclusive a transposição dos obstáculos naturais e não naturais que tenham ocorrido ao longo do ano. Nessa época, a cidade de Mendoza fica cheia de turistas.

Após a colheita principal no início do ano, as vinícolas fazem a colheita tardia, que acontece no outono entre os meses de maio e junho. A colheita tardia oferece uvas mais açucaradas que produzem vinhos mais doces.

Linha de vinhos da Bodega Andeluna

Linha de vinhos da Bodega Andeluna


A Andeluna usa dois processos de colheita: manual e mecânico. No processo manual, é colhido o cacho inteiro da uva enquanto no mecânico uma máquina sacode as videiras fazendo com que se soltem apenas as uvas, sem o cacho.

Vinhedos da Bodega Andeluna, Vale do Uco

Vinhedos da Bodega Andeluna, Vale do Uco


O sistema de regagem das videiras utilizado pelas bodegas de Mendoza é o de gotejamento por meio de uma mangueira que permeia todas as plantações. É eficiente e tem a vantagem de economizar a pouca água disponível na região.

Vinhos de excelente qualidade

Vinhos de excelente qualidade


Pois é, Mendoza foi construída e prosperou em uma região desértica e, como chove muito pouco por lá (entre 150 e 300 mm por ano. A planta precisa de 700 mm), a cidade depende do degelo da neve das montanhas para abastecer com água a região. Isso significa que ninguém desperdiça água por lá e as irrigações são controladíssimas. Algumas das vinícolas maiores têm um lago/tanque próprio, mas a maioria delas não tem.

Os tanques de fermentação da Andeluna

Os tanques de fermentação da Andeluna


Fala-se muito por lá que a amplitude térmica da região (variação de temperatura, especialmente entre dias muito quentes e noites muito frias) é o que dá qualidade aos vinhos de Mendoza. Essa variação faz a uva criar uma proteção, produzindo uma casca mais grossa. Parece um problema, já que a casca mais grossa faz com que a uva seja menor e tenha menos polpa. Mas pelo que Maurício conta, é o contrário. Essa característica faz com que se perca um pouco na quantidade mas ganhe muito na qualidade, especialmente do vinho tinto. Lembra que é a casca que dá os taninos ao vinho? Pois é, quanto mais casca, mais taninos. Por isso os vinhos da região de Mendoza costumam ter mais corpo, mais estrutura e isso explica os excelentes Malbecs, Cabernet Sauvignons e Cabernet Francs da região.

A Andeluna tem excelentes vinhos, tanto tintos quanto brancos

A Andeluna tem excelentes vinhos, tanto tintos quanto brancos


A visita continua até a área onde os barris de vinhos ficam armazenados. Em Mendoza ouvimos pela primeira vez sobre barris de 1º, 2º, 3º uso etc e as características que cada um imprime no líquido que reserva.

Barris de armazenamento de vinho da Bodega Andeluna

Barris de armazenamento de vinho da Bodega Andeluna


Apesar dos vinhos da Andeluna serem todos muito bons, nos apaixonamos pelos brancos deles. O Torrontés dessa bodega é divino e, pela primeira vez, consegui gostar de um Chardonnay (normalmente acho enjoativo). Além disso, achamos os preços dos vinhos vendidos na Andeluna muito bons.

Os vinhos brancos da Andeluna também são excelentes!

Os vinhos brancos da Andeluna também são excelentes!


A bodega é muito bonita, com locais agradáveis para tomar um bom vinho apreciando a paisagem, curtindo a tranquilidade e a beleza do Vale do Uco e da Cordilheira dos Andes.

Varandão da Bodega Andeluna. À direita ficam as parreiras e a Cordilheira dos Andes.  Uma paisagem lindíssima.

Varandão da Bodega Andeluna. À direita ficam as parreiras e a Cordilheira dos Andes. Uma paisagem lindíssima.


Para quem quer passar mais tempo nessa excelente bodega e curtir a região, a Andeluna também oferece almoço harmonizado de 3 ou 6 passos.

Área do restaurante da Andeluna

Área do restaurante da Andeluna


A Bodega Andeluna funciona todos os dias da semana entre 10 h e 16 h e é necessário fazer reserva tanto para a degustação/visita quanto para o almoço.

Vá e aproveite! Nós recomendamos!

Confira nosso vídeo sobre as bodegas que visitamos no Vale do Uco, inclusve a Andeluna:

Leia outros posts sobre Mendoza:
Cruzando a Alta Montanha pela Ruta 7 na Cordilheira dos Andes
Offroad pelas montanhas de Mendoza, Argentina. Um dia de Land Rover no sopé dos Andes
Bodega El Enemigo em Maipú – Mendoza, Argentina
RJ Viñedos em Luján de Cuyo – Mendoza, Argentina
Bodega Belasco de Baquedano com almoço harmonizado em Luján de Cuyo


Siga-nos no Twitter: @viagensandancas (www.twitter.com/viagensandancas)
Curta o Viagens & Andanças no Facebook: www.facebook.com/viagenseandancas

      Receba nossas atualizações por e-mail:

 

Sugestão de leitura:

3 Responses to Bodega Andeluna no Vale do Uco – Mendoza, Argentina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Scroll to top