Pin It
Home » Dicas » Desidratação: um perigo no verão e no inverno. Saiba como reconhecer, tratar e evitar


A desidratação é um mal sorrateiro que chega sem ser notado. É especialmente perigosa nos idosos e nas crianças e pode levar qualquer pessoa à morte. O ideal é prevenir, mas se ela chegar, precisa ser tratada com muita responsabilidade. Nesse artigo, vamos indicar o que fazer em ambos os casos.

Causas

Entre as causas da desidratação estão calor e frio intensos (isso mesmo, frio também), alimentação desregulada e alguns remédios, especialmente para idosos.

A gente perde líquidos todos os dias por meio da urina, fezes, transpiração e pelo vapor da respiração.
Além do esforço físico e do frio/calor intensos, condições como febre, diarreia, vômito e urina excessiva também causam desidratação.

Colocar seu corpo à prova em atividades que estão além da sua capacidade é outro fator que pode gerar problemas, entre eles a desidratação.

Fique de olhos nos sinais do seu corpo e não exija dele mais do que ele pode oferecer

Fique de olhos nos sinais do seu corpo e não exija dele mais do que ele pode oferecer


Como evitar

Há várias maneiras de evitar a desidratação, mas uma das principais é manter o hábito de beber água aos poucos e de forma constante, especialmente alguns dias antes de fazer uma caminhada ou realizar uma atividade mais exigente.

No calor, nosso corpo transpira muito e elimina não só água, mas também sais minerais. Por isso, além da santa água do dia a dia, durante as atividades físicas muito exigentes é importante repor os sais perdidos fazendo uso de bebidas que contenham esses sais, potássio e eletrólitos. Para os trilheiros, há pastilhas solúveis em água que resolvem esse problema. Além delas, são recomendadas bebidas isotônicas como água de coco (muito rica em sais minerais) gatorade e afins. Beliscar alimentos como amendoins, castanhas e uvas passas também ajuda a manter tudo sob controle. A banana, por ser rica em potássio, é um bom alimento para levar nas caminhadas.

Hidratação aos poucos e de forma constante evita problemas

Hidratação aos poucos e de forma constante evita problemas


E não imponha ao seu corpo atividades que estão além do que você pode suportar.

Mas por que a gente desidrata no inverno?

Como a gente, normalmente, não transpira no inverno tanto quanto no verão, é mais fácil não perceber que uma desidratação pode estar a caminho. O ar frio e seco pode sugar o líquido do corpo de maneira mais rápida e imperceptível do que o ar quente e úmido dos dias de verão. A verdade é que o corpo precisa de líquido sempre, independente da temperatura.

As altas altitudes também podem causar desidratação. Veja como evitar o mal da altitude.


Desidratei, e agora?

Um preparo de soro caseiro (uma colher de açúcar para uma pitada de sal em um copo d’água) pode salvar o dia e trazer você de volta para casa em segurança. As bebidas isotônicas, conforme falamos acima, são essenciais quando o problema já se instalou.

Fuja das bebidas com cafeína, pois elas são diuréticas e podem piorar a situação.

Além disso, o descanso é essencial na recuperação. Afrouxe roupas e sapatos apertados para trazer mais conforto e permitir que o sangue circule com liberdade.

Em alguns casos, é importante procurar auxílio médico e tomar soro intravenoso, que permite uma recuperação mais rápida.

Sintomas da desidratação

São vários os sintomas e eles aparecem em conjunto ou isolados, dependendo da pessoa e do grau de desidratação em que ela está.

O sintoma que costuma aparecer primeiro é a dor de cabeça, que também pode indicar insolação e hipotermia. Outro sintoma muito perigoso para os caminhantes é a confusão mental, que pode fazer com que a pessoa se perca na trilha, tome decisões equivocadas ou dê informações erradas para alguém.

Falta de apetite, enjoo e tontura são outros sintomas que servem de alerta.

Além desses, observe sintomas como boca seca, sonolência ou cansaço extremo, diminuição na quantidade de urina e prisão de ventre.

Os casos graves podem apresentar sede excessiva, muito sono, irritabilidade, olhos fundos, pele murcha, pressão arterial baixa, taquicardia, respiração rápida e/ou inconstante, febre, contrações musculares involuntárias e, em casos extremos, delírio e inconsciência.

É sempre bom ficar de olho na cor da sua urina, em especial se ela estiver escura e você apresentar qualquer um dos sintomas descritos acima.

Este mal acomete com mais frequências as crianças, os idosos e os portadores de doenças crônicas como, por exemplo, a diabetes, mas ninguém está livre dele.

Se for fazer atividades físicas com crianças, fique de olho nelas e faça com que bebam água constantemente. Não espere que peçam.

Fique de olho e previna-se. Desidratação mata!

*As informações neste artigo não substituem a orientação médica.

Gostou do artigo? Dê um curtir e compartilhe com seus amigos.


Siga-nos no Twitter: @viagensandancas (www.twitter.com/viagensandancas)
Curta o Viagens & Andanças no Facebook: www.facebook.com/viagenseandancas

      Receba nossas atualizações por e-mail:

 

 

One Response to Desidratação: um perigo no verão e no inverno. Saiba como reconhecer, tratar e evitar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Scroll to top